O método das três caixas de investimentos

Logo que você começa a se preocupar com sua saúde financeira, ainda parece um pouco nebuloso manter o controle do planejamento financeiro almejado. Desta forma, para o ajudar a manter a motivação na busca pela independência financeira, explicaremos o Método das 3 Caixas.

Comece a investir

Assim como sua vida é composta por diversos ciclos sociais e tipos diferentes de atividades, o seu dinheiro também é dividido para usos distintos. A partir do momento que você começa a poupar, ou seja, que você consegue manter seu orçamento abaixo das suas receitas, deve-se investir. A fim de que o dinheiro lhe traga frutos trabalhando para você.

Há três fatores principais para investimentos: rentabilidade, risco e prazo (ou liquidez). À vista disso, existem vários produtos para se investir. Cada um voltado a objetivos e perfis diferentes.

Descubra seu perfil de investidor aqui.

É muito difícil ter um produto de investimento que tenha a melhor situação: alta rentabilidade, baixo risco e alta liquidez (estar disponível a qualquer momento). Para resolver esse problema, recomendamos diversificar seus investimentos. Também para diluir o risco, já que está diversificando seu patrimônio em vários produtos.

Outro aspecto importante é observar que você tem objetivos muito diferentes em frente. Talvez seja comprar um carro, pagar suas contas do mês, fazer uma viagem ou ter uma renda extra no futuro. Ao decidir seus objetivos financeiros, você pode orientar seus investimentos para atingi-los mais rapidamente.

O Método das 3 Caixas

Para clarear, seus investimentos devem estar colocados em três caixas: Emergência, Sonhos e Aposentadoria.

1) Reserva de Emergência

Formar esta caixinha é o primeiro passo para conseguir sua independência financeira. Nós do FreeCapital já escrevemos um post completo sobre Reserva de Emergência, o qual orienta o quanto você deve ter nela e o passo a passo. Você pode acessá-lo aqui.

Para simplificar, ela deve ter baixo risco e alta liquidez, consequentemente ela terá baixa rentabilidade. A ideia dela é ter dinheiro disponível para quando precisar em casos de emergência. Como demissão, enfermidade, batida de carro, multas. Infelizmente sinistros acontecem.

A partir do momento que você completou a primeira caixinha, pode seguir para as próximas.

2) Caixinha dos Sonhos

Esta aqui é para seus objetivos e sonhos como aquisição de bens materiais (utencílios, carro, casa etc.), viagens ou até mesmo cursos para estudo. Aqui as recomendações dependem bastante do tamanho do sonho e de quando pretende realizá-lo. Mesmo assim, algumas orientações gerais podem ser passadas.

O valor para investir nesta caixinha é o tamanho do custo dos sonhos. O prazo do investimento também depende de quando você deseja tirar o plano do papel. Agora, falando de risco, quanto menor o prazo, mais conservador deve ser o investimento para atingir seu sonho. Porque reduz a volatilidade da aplicação, diminuindo o risco.

Outra recomendação interessante é que você pode diversificar seus investimentos para sonhos com vontade e prazos distintos.

Por exemplo: se você está pagando as parcelas da sua faculdade, você tem o compromisso de pagar um valor definido todo mês. Então este dinheiro deve estar sob risco baixíssimo, pois você o necessitará já no próximo mês. Já se você quer comprar uma casa em 15 anos, mas não sabe qual casa e muito menos o orçamento dela, você pode pegar uma parcela dos seus investimentos e deixar sob risco maior. Haja vista que tem bastante tempo para fazer este dinheiro crescer e, assim, recuperar a volatilidade de curto prazo.

Lembre-se de que a curva risco retorno deve sempre ser respeitada. Duvide se alguém te oferecer promessas milagrosas de aumento de renda.

3) Caixa da Aposentadoria

Por fim, chegamos à última caixa. Que também é a de mais longo prazo.

Em 2017 houve muita discussão sobre Reforma na Previdência, apontando para um possível rombo nos fundos brasileiros. Estudos mostram que nossa população está ficando mais velha, que nossa expectativa de vida também aumentou e que o Brasil ainda é um país com mentalidade imediatista e adolescente. Além disso, podemos citar casos, como o dos Correios, em que fundos de previdência mal geridos geraram mais contas para os já aposentados.

Tendo em vista tudo isso, nossa recomendação é que seja feita uma previdência complementar para manter seu nível de renda ao se aposentar.

Como esta é a caixa com investimento de mais longo prazo, ela pode estar sujeita a riscos maiores, como investir em ações e outras rendas variáveis. Porque a parte dos seus investimentos em ações tende a aumentar a rentabilidade do seu patrimônio no longo prazo.

Caixa de Aposentadoria: Teoria do 1-3-6-9

A Teoria do 1-3-6-9 diz que, para se ter uma vida tranquila no futuro, as pessoas precisam ter “anos de salários” acumulados conforme a tabela abaixo:

Para algumas pessoas, os nove anos de renda (que devem ser acumulados até os 65 anos) podem assustar. Por isso foi criada outra tabela, a qual permite saber o quanto você deve poupar por mês para alcançar o seu objetivo. Esta tabela relaciona a idade em que você começa a poupar com o percentual de sua renda que deve ser poupada. Veja abaixo:

Observe que para uma pessoa que começa a poupar aos 25 anos é muito mais fácil. Pois ela deveria poupar a sua idade menos quinze, ou seja, separar somente dez por cento da sua renda de todo mês para aplicar. É importante reparar que se planejar numa idade mais avançada pode tornar os esforços de aposentadoria complementar muito complicados.

 

Início